“Pra quem tem fé…”

Faz dias que tenho pensado no que escrever aqui. Elaboro um texto bacana, crio frases de impacto, mas na hora H…na frente pro computador, parece que as palavras somem. Talvez seja um típico traço de cansaço mental. A essa altura do campeonato quem se aguenta? Difícil manter o ritmo, difícil manter as esperanças diante de tanta incerteza.

Há exatamente um ano atrás eu tomei a decisão mais difícil da minha vida. Largar a minha carreira de psicóloga, o meu emprego estável e meu bom salário não foi fácil. Adiei o casamento, adiei a maternidade e hoje tento fazer o balanço de todas renúncias e todas as vitórias. Já tive algumas respostas e muitas frustrações … o jogo ainda não acabou. Ontem foi um dia muito difícil! Saiu a nota de corte da Unicamp e quem acompanha viu que foi uma crueldade sem tamanho! Eu fui bem na prova, tinha esperanças concretas e reais de passar. Mas o NÃO surgiu todo imponente, como só ele sabe ser. Porém, como tudo na vida funciona na base da lei da compensação a tarde fui agraciada com a nota de corte da FUVEST. Não menos assustadora que a Unicamp, a nota de corte foi super alta. Contra todas as expectativas, as notas subiram na maioria das carreiras. E eu me pergunto onde fica o conceito de justiça no meio disso tudo. Chego a uma conclusão um tanto quanto dura: não há justiça no mundo do vestibular. Ou melhor dizendo, não há justiça no mundo da medicina. Você pode ter nascido com alma de médico e amar essa profissão com todo o seu coração, querer ser o melhor do mundo e ser tão benevolente quanto os médicos sem fronteiras… ainda assim você precisa passar pelo vestibular e para isso não basta ser bom, tem que ser ótimo. Surfar entre uma “elite intelectual” que arrasa as provas com seus 80, 90% de acertos. Precisa estudar a vida inteira em um colégio particular que preza pelos conteúdos do vestibular e formam seus alunos já para encararem essa batalha. Caso contrário, negada, bem vindo ao balaio dos que sofrem e perdem seus anos em cursos pré-vestibular. Via de regra? Claro que não! Nessa caminhada já encontrei muitos exemplos de pessoas exemplo de esforço e dedicação, que fizeram da renuncia o principal objetivo do ano e no final das contas conquistaram o que queriam. Já vi pessoas que fizeram escola particular e mesmo assim fazem 3, 4 anos de cursinho simplesmente porque NÃO É FÁCIL!

Longe de querer escrever um post pessimista, embora eu sempre ache que meus posts são pessimistas hahahaha, essa é a minha maneira de tentar dar vazão a esse sentimento que corrói e limita pessoas como eu, que querem fazer medicina não por status, mas por amor. Por amor ao próximo, por amor à vida, por amor à ciência, à fisiologia e tudo o mais que a psicologia não conseguiu me proporcionar. A frustração de receber um não, de ficar 2 ou 3 pontos abaixo da nota de corte pode ser uma cilada. Pode te tirar do caminho ou te servir como combustível para uma nova caminhada, depende de como vc vai usa-la a seu favor.

Eu vivo buscando historias de superação e inspiração. Como uma tentativa tola de achar alguém que viva ou tenha vivido exatamente as mesmas coisas que eu e possa, misericordiosamente, me falar qual é a fórmula mágica pra ser aprovada. Doce ilusão, essa fórmula não existe! Não existe caminho fácil…existe persistência! Paciência e determinação! Esse foi meu mantra ao longo do ano inteiro! Paciência para aceitar as coisas que eu não consigo mudar e determinação para seguir o meu sonho todos os dias! Esse é o segredo!

Desistir é fácil, mas dói! Acreditem em mim e façam um pacto comigo. Não desistam. Nunca!  🙂

Se inspirem:

“Se você não aceita o conselho, te respeito
Resolveu seguir, ir atrás, cara e coragem
Só que você sai em desvantagem se você não tem fé
Se você não tem fé

Te mostro um trecho, uma passagem de um livro antigo
Pra te provar e mostrar que a vida é linda
Dura, sofrida, carente em qualquer continente
Mas boa de se viver em qualquer lugar

…. A fé na vitória tem que ser inabalável”

6 thoughts on ““Pra quem tem fé…”

  1. homemsemsobrenome

    Eu gosto dessa aqui: https://www.youtube.com/watch?v=FFvqY4Mtd_Y

    Quando eu estava na pior há uns anos, eu costumava ouvi-la bastante. Hoje eu não sinto como se precisasse da força dessa canção, mas sinto um pouco de tristeza por ela não me tocar mais tanto.

    1. T.Ar

      Ola!! Eu amor essa musica!! Coloquei o video no post anterior, vc viu? Eh muito boa! 🙂

      1. homemsemsobrenome

        Puxa, eu não tinha visto. Que bacana! Ela é ótima mesmo.

  2. Diane

    E o ENEM, você fez?
    Mas ainda há chance nas FUVEST, UNICAMP ou em outras?

    E se não der, vai continuar tentando em 2015?

    É uma pena não ter alcançado a nota, de verdade.

    :/

    1. T.Ar

      Oi Diane! Tudo bem? Entao, no Enem eu achei que nao fui muito bem :/ fiquei muito nervosa no dia. Nao estava acostumada com o estilo de prova, sabe?
      Consegui ir pra segunda fase da Fuvest e estou concentrando todas as minhas energias nisso.
      Se nao der certo, tento de novo! Desistir nunca 😉
      E vc, fez muitas provas? Como esta sua caminhada?

      1. Diane

        Oi.

        Bom, eu apenas fiz o ENEM e vou usá-lo para o SISU e para algumas universidades que usam o enem, mas sem aderir ao SISU. Ex: UFPA.

        Alem disso, pensei muito em tentar uma particular para aderir, posteriormente, ao FIES, mas acabei desistindo.

        🙂

        Boa sorte na Fuvest e feliz 2015!

Comments are closed.